Estar grávida (A emoção de uma obstetra grávida)

 Este texto escrevi no final oitavo mês de gravidez do meu primeiro filho, Theo. Como já estava com um barrigão não conseguia dormir direito por falta de posição. Acordava geralmente às 5h da manhã, ficava arrumando o quartinho dele e às vezes a inspiração cheia de emoção me pegava e eu corria pra escrever tudo.

 

ESTAR GRÁVIDA (Autora: Laura Lúcia Martins)

Sempre gostei de transformar em palavras, sentimentos e sensações. Gosto muito de escrever. Hoje, com minha gravidez, sinto uma vontade enorme de colocar no papel esses sentimentos, sensações e sintomas que estão me fazendo companhia há quase nove meses. A tradução exata ou até aproximada de alguns deles é mesmo impossível. Não consegui.
Homens, Deus ficou devendo a vocês isso, pois só quando se engravida se passa por essa explosão transformadora na vida da gente. 

Estar grávida é ser terra fecunda a uma semente de vida e de amor únicos e ajudar a Deus na obra de Sua criação.

Estar grávida é sentir seu abdome dançar pra todos os lados, levar chutes e cotoveladas inesperados e abrir um sorriso em cada um deles. É saber que nunca mais sua vida será a mesma e ser a protagonista do maior gesto de altruísmo que alguém pode ter; emprestar o corpo e a vida a alguém que você não conhece, mas já subiu ao topo da sua lista de pessoas mais amadas. 

Estar grávida é se pegar várias vezes ao dia dispersa, com o pensamento longe, idealizando tudo o que você nunca foi capaz de ser, fazer e sentir até hoje. Você fica totalmente rendida por um serzinho que apareceu do nada... Que apareceu do TUDO!!!! 

Estar grávida é chorar TODA hora, por qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo. São alguns exemplos: "Ele mexeu!" "Olha ele no ultrassom!" 'Estou feia!" "Estou linda!" e uma infinidade de reticências cabe aqui nessa frase! (...) (...) (...)

Estar grávida é ter a companhia de câimbras, dores nas costas, enjoos, azia, inchaços, cansaço, sono, pressão baixa, falta de ar, bexiga prestes a explodir, pernas pesadas... e tudo isso passa a ser quase nada quando  se pensa no rostinho lindo que seu filho terá. Estar grávida é ter um "gracioso" andar de pata, é descobrir que você tem uma pinta escondida dentro do umbigo, aprender a depilar por intuição, descobrir pra que servem as suas mamas, ver sumir a sua cintura e os ossos dos seus tornozelos e começar a usar um banquinho pra tomar banho e conseguir lavar os pés.  É  preferir calçados sem fivelas e fechos ou então pedir pro marido fechar pra você toda hora. É ver seu rosto inflar, seus lábios ficarem iguais aos da Angelina Jolie, seu nariz aumentar... É detestar ver o noticiário violento, triste, injusto ou desonesto na TV. Estar grávida é querer só ver coisas boas na TV e no dia-a-dia. É estar em estado de tanta graça que não há tempo pros problemas nem pros defeitos na aparência. 
Estar grávida é passar de estágio na vida. Você cresce e ganha novos olhos e um novo coração. Você adquire entendimento e respostas que antes não tinha. Esse amadurecimento depende muito da fruta. Há frutas que estão prontas e vão amadurecer em todo o sentido da palavra. Mas há frutas que amadurecem parcialmente. Mesmo assim, em todos os casos há uma grande mudança. E olha que o número 1 da sua lista de pessoas mais amadas ainda nem nasceu. Portanto estar grávida e ter um filho é um processo de mudanças intensas e constantes pra melhor. 

Eu tenho um professor chamado Theo. Ele está me dando um curso intensivo de 24h por dia. Os módulos do curso são divididos em intra-útero (duração de 9 meses) e extra-útero (duração pela vida toda). 
Filho,  está tudo pronto e tem muito amor aqui esperando você chegar. Obrigada pelas aulas e alegrias que tem me dado. Mamãe vai te amar pra sempre.   Laura

(Continua com o texto do "Curso intra-útero")