Mulher com M

Minha missão no mês de março, mês das MULHERES,
é mostrar as mais de mil maneiras de mensurá-las entre a menina e a mulher,
entre o mini e o maxi,
entre o mal e o mel.

 

Musas, maravilhosas, mães, malabaristas,
mágicas, molecas, maduras, malucas,
médicas, matracas, meigas, mestres,
modernas, mistas, mesmas, muitas…

 

Malvadas na medida, desde a mordida na maçã,

madres, matrizes  e máquinas que metem a mão na massa

e magicamente moldam um mundo melhor.

 

Mistério magnífico, milagre da mão de Deus,

modelo de menos músculos que malha e move montanhas como meta,
da manhã à madrugada,
misturando a mansidão com a maestria de minimizar o medo
na marcha e na mudança.

 

Morada da magia que magnetiza, Monalisa na moldura,
mama que amamenta, maleável, manipula as mágoas
em motivação pra melhorar com manobras e macetes,
mártir, majestosa, merecedora de um manancial.

 

Mulher, que das mantas da maternidade até a morte, é o menos e o mais,
é o mantra e a música melodiosa,
é o marco e o maná, é o micro e o macro,
é o mar e o aMar.

 

Temos apenas um ponto G e muitos pontos M!
Ser mulher é no mínimo o máximo!    

          

 

Para todas as Mulheres-Maravilha, uma homenagem da médica, mineira, metida a manuscritos, também mãe e mulher, Martins Laura, que tem o privilégio de trabalhar, conviver, ajudar, ensinar e aprender com essas mulheres maravilhosas todos os dias.