A Síndrome dos ovários policísticos (SOP)

Esse é um dos problemas mais comuns no dia-a-dia do consultório ginecológico. Toda mulher deve estar atenta às mudanças e sinais que seu corpo apresenta e procurar o ginecologista para tratamento correto dessas alterações que é individualizado pra cada paciente.

 

Entende-se por SíNDROME, o nome dado a um conjunto de sintomas e POLICíSTICO o aspecto que os ovários assumem, apresentando vários pequenos cistos (pequenas coleções de líquido) localizados preferencialmente na periferia do órgão.


A SOP é caracterizada pelo aumento do nível de testosterona (hormônio masculino) no corpo da mulher e tem como principais sintomas a irregularidade menstrual, o surgimento de acne (espinhas), maior oleosidade da pele e dos cabelos, o aumento da gordura corporal e dos pelos. Frequentemente,  ela também se manifesta por meio do aparecimento de microcistos no ovário. Portanto, nem sempre há cistos nos ovários visíveis ao ultrassom e isso não exclui o diagnóstico de SOP. E da mesma forma, a presença de pequenos cistos nos ovários, vistos no ultrassom, não indica que seja SOP. Para o diagnóstico de SOP é necessário apresentar os sintomas descritos acima e quando o quadro gera dúvidas, se faz dosagens hormonais pra elucidar o diagnóstico. 


Ainda não se sabe exatamente o que provoca a SOP. Acredita-se que talvez algumas mulheres tenham uma tendência genética a desenvolver esse problema. Mas, independentemente da causa, o fato é que 6 a 8% das mulheres em idade reprodutiva sofrem com a doença no mundo.



O tratamento deve ser instituído assim que o diagnóstico for firmado, pois essa síndrome provoca aumento do número de ciclos anovulatórios (sem ovulação), o que dificulta a gravidez, além do desconforto de engordar, ter a pele oleosa, cheia de pelos, espinhas e todo tipo de irregularidade do ciclo menstrual, chegando até a ficar meses sem menstruar. Quando a mulher começa a engordar, o quadro piora, pois a gordura exerce a função de aumentar mais ainda a SOP, formando um círculo vicioso. Portanto ENGORDAR aumenta a SOP e a SOP faz engordar. 

 

Outra importante informação é que a SOP não impede a gravidez!  Ela apenas a dificulta,  pois em alguns ciclos a mulher não ovula. Se você tem SOP e não deseja engravidar no momento, deverá utilizar um método contraceptivo orientado pelo seu ginecologista. Ele escolherá pra você um método que é contraceptivo e ao mesmo tempo é tratamento para a SOP. Existem tratamentos específicos pra diminuir o nível de hormônios masculinos existentes nessa doença e assim, diminuir os cistos e o volume dos ovários afetados.

 
O tempo de tratamento varia muito de caso para caso; varia se a mulher tem o desejo de engravidar no momento ou não e varia ainda se a paciente está em sobrepeso ou não. Seu ginecologista irá orientá-la quanto a isso.

 
É  importante lembrar que após o tratamento a mulher poderá voltar a apresentar a SOP, já que é uma doença genética. Portanto uma vez sendo diagnosticada com SOP, faça suas visitas regularmente ao ginecologista ou sempre que apresentar algum sintoma descrito. A SOP não tem cura, tem controle e a mulher poderá conviver  muito bem com essa condição durante toda a fase reprodutiva de sua vida.


O tratamento pra essa doença é clínico. Não é cirúrgico! Se não houvesse nenhum hormônio ou nenhum outro tratamento para a síndrome, a simples atitude de emagrecer (para aquelas que estão acima do peso) e se manter no peso ideal, já exercerá uma influência positiva sobre os ovários, fazendo com que eles voltem a ciclar adequadamente.

Isso se deve ao fato de que em torno de 50% das portadoras de SOP, principalmente as obesas, apresentam o que chamamos de resistência  periférica aumentada da glicose à insulina que leva à hiperinsulinemia (aumento da insulina no sangue). Isso faz com que a mulher tenha maior chance de desenvolver alterações vasculares, diabetes, hipertensão arterial e risco cardiovascular aumentado no futuro. É o que chamamos de Síndrome Metabólica.


No cérebro, a insulina parece estar envolvida na secreção anormal de um hormônio (chamado LH) que no ovário promove a secreção de andrógenos (hormônios masculinos). A insulina também age no fígado diminuindo o metabolismo desses hormônios masculinos, os quais aumentam na corrente sanguínea, piorando mais ainda o quadro de SOP.  Os sinais mais evidentes de hiperinsulinemia são a vontade aumentada e constante de consumir carbohidratos e lesões mais escuras no pescoço, similares à estrias, às quais damos o nome de acantose nigricans

Portanto, estar atenta aos sintomas da síndrome, às suas menstruações, às dores no baixo ventre, ao aspecto de sua pele e pelos e manter-se sempre no peso ideal é a mensagem que gostaria de passar a vocês com esse artigo.


Há muito mais informações, que reservo para serem dadas no consultório, pois variam muito de paciente para paciente.