Consulta Ginecológica de Rotina

É um grande privilégio pra nós, sermos mulheres no século XXI. Os avanços tecnológicos na medicina nos trouxeram mais segurança e precocidade nos diagnósticos relacionados à saúde integral da mulher. Por isso venho alertar sobre a importância de uma consulta ginecológica de rotina anualmente, já que a prevenção é a nossa melhor arma contra o câncer e tantas outras doenças que existem.

Infelizmente o antigo hábito de procurar o médico somente quando se tem algum sintoma de doença, ainda é o mais praticado nos dias atuais. 

 

O ginecologista é também considerado o clínico geral da mulher e numa boa consulta de rotina, não serão avaliados somente o aparelho reprodutor e mamas, mas a mulher como um todo em seus diversos órgãos e aparelhos, queixas sexuais e seu estado emocional.

 

A idade considerada ideal pra primeira consulta ginecológica não é quando a menina começa a menstruar, mas quando está na fase de estirão (crescimento acelerado) que ocorre antes da primeira menstruação, para que ela seja orientada sobre a nova fase da vida em que vai entrar e aprenda a conhecer melhor seu corpo e as mudanças que nele ocorrerão.

 

A partir daí, deverá procurar seu ginecologista sempre que houver algum sintoma mamário, irregularidade do ciclo menstrual ou dores até que haja a primeira relação sexual. Uma mulher sexualmente ativa, ou que já tenha iniciado sua vida sexual e não esteja ativa no momento, deve consultar anualmente na maioria das vezes, a menos que o médico encontre a necessidade de uma periodicidade maior nas consultas dependendo de cada caso.

 

Necessidades diferentes para cada idade

De uma forma prática, a mulher deve ter em mente os cuidados e orientações com sua saúde, que variam de acordo com sua faixa etária. Até os 14 anos temos então a primeira consulta  ginecológica. Dos 20 aos 70 anos se realiza o preventivo do câncer de colo de útero (Papanicolaou) anualmente desde que já tenha iniciado sua vida sexual.

O médico irá estimular e ensinar o auto-exame das mamas, que deve ser realizado pela própria paciente uma semana após a menstruação e se mantem como rotina mensal. Entre 35 e 40 anos se realiza o primeiro exame de Mamografia e de Ultrassonografia Mamária, chamados exames de base. Mas podem ser realizados antes desta data para a elucidação diagnóstica em caso de aparecimento de nódulos nas mamas.

Entre os 40 e os 50 anos a mamografia é realizada de 2 em 2 anos caso não haja fatores de risco para o câncer de mama e após os 50 anos o exame é anual.

 

Dados da incidência do câncer ginecológico

O câncer de colo tem maior incidência entre os 25 e 40 anos e existe importante correlação com a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), enquanto o câncer de mama é mais freqüente em pacientes com história familiar (principalmente mãe e irmã), displasia mamária, gravidez tardia, primeira menstruação precoce (antes dos 12 anos) e menopausa tardia (após 50 anos). O câncer de mama é menos freqüente antes dos 30 anos e tem grande incidência após a menopausa.

 

O papel do ginecologista

O ginecologista é ainda procurado para pesquisa e acompanhamento das doenças mais comuns do sexo feminino, como as alterações hormonais, as doenças do útero (miomas, pólipos e endometriose), as dos ovários (cistos e tumores), as doenças sexualmente transmissíveis e para orientações sobre gravidez, Pré-Natal, anticoncepção, infertilidade e planejamento familiar.

 

O exame clínico

No exame ginecológico se faz a avaliação geral de vulva, períneo, ânus, vagina e colo do útero com coleta do Papanicolaou e toque vaginal (somente após inicio da vida sexual); coleta de secreções na suspeita de infecções e ainda o exame das mamas. O médico poderá detectar alterações que muitas vezes a mulher ainda nem teve nenhum sintoma. Geralmente o exame é complementado com a ultrassonografia abdominal e pélvica transvaginal, para melhor estudo dos órgãos internos dessas regiões, em alguns casos com dosagem hormonal quando necessária, além da mamografia como descrito acima e outros como exames de sangue, urina, fezes, densitometria óssea e outros específicos para cada caso. 

Com relação ao Papanicolaou, explico que é um exame rápido, indolor e de baixo custo que previne contra o câncer de colo de útero pois detecta lesões precursoras do câncer em até anos antes. Ele também detecta micróbios, alterações celulares inflamatórias e até o nível de hormônios.

 

Procure seu ginecologista sempre que necessário e anualmente mesmo que não esteja apresentando nenhum sintoma, para que ele lhe indique os exames que você precisa realizar.

De uma forma geral, a prevenção se resume em procurar o médico regularmente, ficar longe do cigarro, arguile, drogas, álcool em excesso, ter uma alimentação saudável e balanceada, praticar alguma atividade física, ter tempo pro lazer, diminuir o nível de stress e se apaixonar pela vida e por você mesma.