O que é endometriose?

A ENDOMETRIOSE é uma doença que ocorre pela presença de endométrio (tecido que recobre o útero por dentro e que se transforma em menstruação caso não tenha ocorrido a gravidez) aderido em outras partes do útero ou em outros órgãos, principalmente nos órgãos da pelve. Quando esse tecido se implanta no músculo do próprio útero, damos o nome de ADENOMIOSE.


Quais são os sintomas? 

A endometriose é dolorosa na grande maioria dos casos, pois sofre influência das oscilações hormonais. Isso significa que os focos de endometriose também sangram todo mês quando a mulher menstrua, mas esse sangue não tem pra onde ir. Isso provoca uma congestão na pelve, inchaços abdominais, dores que geralmente começam poucos dias antes da menstruação e cessam gradativamente com o final do fluxo e um processo inflamatório que torna difícil a gravidez, sendo uma das causas responsáveis pela infertilidade feminina. Há também dores nas relações sexuais porque os focos de endometriose geram um pouco de fibrose nos tecidos acometidos como uma reação do organismo em "limpar" essas células que estão fora do lugar. 

Focos localizados na bexiga, no intestino, nos ovários podem dar sintomas de dor nesses órgãos durante a menstruação. Além disso, a dor crônica pode levar a problemas como cansaço, perda de sono, alterações do humor, depressão, tensão pré-menstrual e dor lombar. 

Por isso, caso você tenha esses sintomas, principalmente durante o período menstrual, deve consultar um ginecologista para que ele investigue corretamente.

O que causa a endometriose? 

Embora ninguém saiba ao certo como a endometriose ocorre, há duas teorias prováveis para o seu desenvolvimento. A primeira e mais aceita, fala da MENSTRUAÇÃO RETRÓGRADA, ou seja, quando a mulher menstrua o sangue sai pela vagina, mas também reflui pelas trompas semeando focos de endométrio em toda a pelve. Há um mecanismo de limpeza dessas células, mas quando este falha ou é insuficiente, essas células então se implantam na pelve.

A segunda teoria diz que por algum motivo, áreas de células no exterior do útero, transformam-se em células de endométrio sob a influência das oscilações hormonais do ciclo. 

A endometriose não é uma doença transmissível e para tentar prevenir seu aparecimento é que se preconiza não menstruar ou menstruar pouco com o uso de pílulas contraceptivas de baixa dosagem e mais modernas prescritas pelo seu ginecologista. 

Vamos analisar o seguinte: antigamente a mulher pouco menstruava. Casava-se cedo e sem métodos contraceptivos bons, logo engravidava e em seguida amamentava, voltando a engravidar logo quando voltava a ovular novamente. Eram longos períodos da vida sem menstruar. Isso fazia com que, menstruando menos, houvesse menores chances de endometriose. Sabemos, hoje em dia, que a mulher só precisa menstruar quando deseja engravidar. Caso contrário, ela deve proteger o seu sistema reprodutor tomando uma pílula ou usando um método que a faça menstruar menos ou nada, prescrito pelo ginecologista.

Como a endometriose é diagnosticada? 

O único método de certeza da presença dos focos de endometriose se chama LAPAROSCOPIA que é um procedimento cirúrgico. Este pode ser feito pela forma tradicional ou por vídeo (VIDEOLAPAROSCOPIA), permitindo ao médico visualizar a parte externa do útero e todos os órgãos da pelve procurando lesões avermelhadas ou escuras "focos cor de chocolate".

Porém há outras formas do médico suspeitar da presença dessa doença como os exames de ultrassom e ressonância magnética e iniciar o tratamento como forma de prova terapêutica e melhora dos sintomas.

Como a endometriose é tratada? 

Existem duas maneiras de tratar a endometriose que podem ser usadas em conjunto em alguns casos. Na escolha do tratamento se leva em conta os objetivos da paciente, se pretende melhorar sua fertilidade para ter filhos ou apenas melhorar a qualidade de vida com o alívio dos sintomas. 

O tratamento medicamentoso se baseia em usar fármacos que equilibrem ou bloqueiem as alterações hormonais que influenciam os focos de endometriose impedindo que cresçam a cada mês trazendo alívio dos sintomas.

O tratamento cirúrgico remove os focos de endometriose ou até todo o órgão acometido, dependendo da gravidade da doença encontrada assim que o médico visualiza toda a pelve e a quantidade e extensão dos focos.

A endometriose afetará as minhas chances de engravidar? 

Pelo processo inflamatório e aderências que ela causa, poderá afetar o transporte dos óvulos pelas trompas bloqueadas ou até mesmo na liberação deles pelos ovários. Mas a presença de endometriose não significa que você seja infértil. Tudo dependerá da quantidade, tamanho e local de acometimento dos focos. 

Se ocorrer gravidez, poderá ocorrer também a diminuição e alívio dos sintomas pelos hormônios que são liberados durante a gestação.

A endometriose é comum?

Acredita-se que essa doença afete uma em cada dez mulheres em idade reprodutiva. Ela é geralmente diagnosticada por médicos durante a entrevista médica, procedimento cirúrgico ou na realização de exames de investigação de infertilidade. Para cada cinco mulheres que tem dificuldade de engravidar, duas tem endometriose. 

Caso a sua mãe ou irmãs sofram de endometriose, é sete vezes maior a chance de você também ter esse problema. Infelizmente muitas mulheres sofrem em silêncio, acreditando que seus sintomas sejam normais. Em torno de um terço das mulheres acometidas não apresentam sintomas. 

Há inúmeros grupos de apoio e esclarecimentos à essa doença. Não deixe de falar com seu médico e procurar a ajuda necessária.