Qual o seu tipo de TPM?

TPM!!! Essas três letrinhas tão estudadas nos últimos anos e nunca antes tão faladas, são as responsáveis por fazer a mulher se desentender com a própria feminilidade.

São a sigla de "TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL"  porém, com os avanços dos estudos sobre o assunto, o correto agora é falar SPM "SÍNDROME PRÉ-MENSTRUAL". A palavra síndrome é o nome que damos a um conjunto de sintomas oriundos da mesma causa. Portanto a mulher não tem somente "tensão" nessa fase de seu ciclo e sim uma síndrome. Mas, é muito difícil as pessoas aceitarem mudanças em nomes tão consagrados e tão falados e por isso, ainda continuamos falando TPM e não SPM.
A TPM é de alta importância, porque martiriza a mulher periodicamente e interfere no desempenho de suas funções habituais. Costumamos dizer que todas as mulheres tem TPM, o que vai diferenciar é o grau e o tipo dos sintomas. Muitas vezes, aquela mulher que só tem um pouco de dores nas mamas ou um discreto inchaço nas pernas, diz que não tem TPM. Isso se deve ao fato de que ela não se incomoda com a intensidade mais leve dos sintomas. Mulheres que não tem útero, mas tem ovários funcionantes também podem sofrer de TPM e as grávidas e menopausadas, obviamente, estão livres deste mal.
 
O QUADRO CLÍNICO
É bastante variado e existem 4 tipos de TPM:

Tipo A – a ansiedade e suas conseqüências, são as características principais.
Tipo C – há predominância da compulsão alimentar irresistível, principalmente, por doces e chocolate.
Tipo D – há predominância de sintomas depressivos, nos quinze dias que antecedem a vinda da menstruação.
Tipo H – ocorrência, principalmente, de inchaço nas mamas (deixando-as extremamente dolorosas), distúrbio do sistema nervoso central causando dores de cabeça, gazes no                   abdome e dores musculares nas pernas.

Os sintomas podem se manifestar até 15 dias antes da menstruação e desaparecem, quase sempre repentinamente, nos primeiros dias de fluxo menstrual. Os principais são:
- fraqueza, ansiedade, irritabilidade, depressão;
- dificuldade de concentração, instabilidade e indecisão;
- alteração do apetite (para mais ou para menos) com forte tendência para certos alimentos;
- transtornos do sono;
- modificações dos hábitos sexuais;
- dificuldade para relacionamentos interpessoais, isolamento social;
- agressividade e até tentativas de suicídio;
- calores;
- dores de cabeça;
- ganho de peso;
- retenção de líquido;
- dor e aumento do volume das mamas;
- dor pélvica e nos membros inferiores;
- distenção do abdome (inchaço no estômago);
- náuseas, vômitos e diarréia;
- dores musculares e articulares;
- taquicardia (coração mais acelerado), falta de ar e dor no peito;
- manifestações alérgicas (rinite, sinusite, coceiras no corpo, asma e conjuntivite).

As CAUSAS da TPM podem ser:

- Ligadas a desequilíbrios hormonais das prostaglandinas e endorfinas.
- Fatores psicológicos, como atitudes e crenças ligadas à menstruação.
- Fatores ambientais como nutrição e poluição.
- Idade, pois essa síndrome é mais frequente nas mulheres acima de 30 anos.
 
TRATAMENTO

- Diminuir o consumo de sódio (sal), cafeína, fumo, álcool e açúcar refinado.
- Consumir uma dieta mais equilibrada, rica em fibras e proteínas.
- Praticar exercícios físicos aeróbicos.
- Não usar roupas apertadas.

A prescrição de medicamentos se baseia no tipo de sintomas de cada paciente e deve ser sempre feita por um médico. E a ajuda da paciente é fundamental quando informa dados claros e precisos dos sintomas. Isso pode ser facilmente feito através de anotações em um diário ou agenda. Três meses consecutivos de registros, já clareiam bastante o diagnóstico e o tipo de TPM que aquela mulher tem. Se vc for começar a fazer suas anotações inclua datas, dia do ciclo e os sintomas que estão aparecendo em cada dia e sua intensidade.

Concluindo, a TPM é uma característica feminina muito comum, mas pode ser aliviada sempre que interferir negativamente em seu bem-estar e em suas atividades diárias. Como eu sempre falo: pra que sofrer se há tratamentos eficazes?
A compreensão por parte dos parentes, amigos e companheiros é um fator fora do seu controle, além de se desgastar com o tempo. Por isso é importante ter consciência das melhores maneiras de tratar a sua TPM e estar sempre um passo a frente das possíveis interferências no seu dia-a-dia. Se a própria mulher não se aguenta durante o período de sua TPM, imagine os outros que convivem com ela?
Sabendo mais sobre esse problema de saúde, observando seus ciclos e seus sintomas e procurando o tratamento adequado ao seu caso, desejo a você que daqui pra frente, as letrinhas "TPM" passem a significar "TEMPO PRA MIM".

Você pode deixar suas perguntas na sessão de dúvidas.