O começo da gravidez e seus sintomas

Na minha gravidez em 2010, consegui unir a teoria à prática e o meu aprendizado como médica obstetra triplicou. Senti na pele cada mudança, cada angustia e também o contentamento único de poder gerar uma vida dentro do próprio ventre.

 Depois de anos estudando obstetrícia, ficar grávida foi uma experiência enriquecedora e que me motivou a escrever o PAPO DE GRÁVIDA, tópico interativo com minhas pacientes na minha comunidade do Orkut. Conversamos sobre todas as mudanças que ocorrem no corpo e na vida de uma mulher desde o dia em que sua menstruação atrasa e a grande notícia chega. 

   Vou transcrever algumas partes sobre o início de gravidez aqui pra esse artigo do site, mas aguardem outros que ainda virão.

   Descrevi ainda os sintomas que eu estava tendo na época, os quais estão em letras itálicas e negrito. Este, portanto, é um tópico escrito como médica e como paciente. Espero que gostem.

 

Os primeiros sintomas
 

No começo da gravidez os sintomas e as suas intensidades variam muito de grávida pra grávida. Não há necessidade de maiores preocupações, mas todos devem ser relatados ao seu obstetra que irá lhe avaliar e prescrever uma forma de amenizar os mais incômodos.
 

Os mais frequentes são os famosos ENJOOS. Eles ocorrem pela grande quantidade de hormônios metabolizados pelo fígado, causando esse mal-estar. Além disso, todo o PALADAR e OLFATO mudam. Coisas que a mulher sempre gostou, passam a ser enjoativas e intoleráveis nessa fase. Surgem as vontades estranhas em algumas grávidas mais que as outras. Isso é normal. Está tudo mudado mesmo, por causa dos hormônios circulando em grande quantidade.
 
 Geralmente as gestantes tem preferência por coisas mais cítricas, azedas, ardidas e geladas. Tomates, laranja, limão, maracujá, gelo, (...) e uma vasta lista de outros itens cabe aqui. 

 Há também o enjoo de fome, quando o estômago está muito vazio, mas basta comer qualquer coisa que o enjoo passa. Pra piorar, é mais difícil escolher o que se quer comer. Isso não é frescura de grávida, não! Enjoada e com o paladar estranho, não é tudo o que dá certo. Quando se descobre algo que dá certo, geralmente a grávida come todo o estoque da geladeira, do mercado ou do restaurante! Não se sintam culpadas por isso. Se comer salmão com limão e goiabada der certo, vai fundo! (Risos).

 No meu caso, estive ótima até 9 semanas. Não senti enjoo nenhum. Mas eles vieram com tudo depois disso. Pra escovar os dentes é um horror. Escovo tampando o nariz e fico nauseando o tempo todo. Tenho trocado de pastas e isso me ajudou um pouco. 
Fico enjoada quando vejo camarão, que eu sempre adorei. Como uns 2 tomates com limão todos os dias! É o que eu mais gosto além das frutas na salada de frutas que não falta na minha geladeira. Não como sal nenhum, exceto o do preparo normal dos alimentos. Tenho cuidado muito disso e também não como açúcar. Uma ótima dica é usar a sucralose, um adoçante da cana-de-açúcar liberado pra grávidas e crianças. Há muito tempo só uso isso em casa. E o açúcar que uso nas receitas, é o açúcar magro (frutose), aquele que vem das frutas e não da cana-de-açúcar. É mais saudável e adoça 4 vezes mais que o normal, sem ter passado pelos processos de refinamento.

 

 Hábitos como não tomar refrigerantes, consumir frituras e outras coisas gordurosas, diminuir o consumo de sal e açúcares ajudam muito, não só nos seus enjoos como na sua saúde. Nada está proibido. Mas não fique consumindo esses alimentos com frequência. Só de vez em quando e olhe lá. 

 Outra coisa importantíssima é não consumir bebidas alcoólicas. Brinde com champagne a descoberta da gravidez com a família, o casamento da prima e o aniversário do pai com uns golinhos de uma taça e só!  O fígado do bebê é muito imaturo pra processar o álcool não metabolizado que você pode passar pra ele.
    
Falando um pouquinho sobre o OLFATO, é normal não tolerarmos cheiros fortes, como perfumes, café, cigarro, mesmo que um pouquinho só. Há pacientes minhas que me dizem que estão enjoadas do cheiro do marido!!! (Risos). Coitados.  Mas isso pode acontecer mesmo. E passa... Fiquem tranquilas que passa.

No meu caso não estou suportando cheiro de perfume nenhum! Logo perfume que eu adoro. O marido está proibido de passar. Se ele passa um pouquinho que for, a casa fica impregnada e eu fico tendo náuseas horrorosas além de DOR DE CABEÇA.
  

E por falar dela, preciso dizer que ela costuma também aparecer durante toda a gestação, mas principalmente no começo e também se deve a grande quantidade de progesterona circulante. Dor de cabeça, TONTURAS, FALTA DE AR e SONO. MUITO SONO! A PRESSÃO da gestante é um pouco mais BAIXA e começamos a ter até 2 litros a mais de sangue circulando no final da gestação, bombeados pelo mesmo coração, que tem que se adaptar em mandar uma grande quantidade de sangue pra placenta também.
  
   Outro sintoma muito comum e bastante desagradável é a distensão abdominal por EXCESSO DE GASES. A progesterona deixa a musculatura lisa do intestino mais relaxada e isso deixa a barriga mais distendida com gases estomacais e intestinais e as consequentes cólicase eructações. A alimentação errada aumenta ainda mais essa distensão e isso causa muitos desconfortos. Algumas pacientes também podem ter mais PRISÃO DE VENTRE na gravidez do que fora dela.

A vontade de URINAR FREQUENTEMENTE é outro sintoma muito comum no início (e também no final, pois no meio da gravidez melhora) e a explicação para isso é também pelos hormônios aumentados e pela maior pressão do útero sobre a bexiga.   

 Grande parte das gestantes sente uma CÓLICA parecida com a menstrual logo nas primeiras semanas. Isso é normal também e se deve ao aumento que o útero está sofrendo e à toda vascularização aumentada na região para a formação da futura placenta e feto. Sempre faço uma comparação pras minhas pacientes assim: o útero nessa fase se transforma numa “esponja encharcada” de sangue e isso pesa e dá a sensação de cólica menstrual. Porém, toda dor em baixo ventre deve ser relatada ao seu obstetra que irá lhe orientar corretamente o que fazer em cada uma delas.

 

 Sobre as DORES NAS MAMAS, geralmente antes de menstruar, toda mulher pode sentir graus variáveis de dores nas mamas. Elas podem não aparecer todos os meses e ocorrem pela progesterona do período pré-menstrual. Mas nos primeiros meses de gravidez, elas vem pra valer e as mamas ficam enormes. É raro uma grávida que não as tenha. Ocorrem pela intensa quantidade de progesterona circulante, várias vezes maior que a quantidade circulante no período pré-menstrual. O organismo sabe que dali a 9 meses, as glândulas mamárias precisarão estar prontas pra amamentar e logo nos 3 primeiros meses as mamas hipertrofiam, ou seja, crescem pra poder exercer sua função após o parto. E isso é bem doloroso, desconfortável, não podemos mais dormir de bruço e já começamos a precisar de sutiãs maiores e mais reforçados. Por volta do quarto ou quinto mês isso melhora e o obstetra irá te ensinar a preparar seu mamilo com alguns exercícios realizados durante o banho até o final da gravidez e também para que a pele da auréola e mamilos se tornem mais resistentes, diminuindo a incidência de fissuras durante a amamentação. Antes, é praticamente impossível fazer os exercícios porque dói muito. Não se deve passar hidratante nos mamilos. E somente em alguns casos se usam cremes preventivos contra fissuras. Seu médico irá de orientar sobre esses cuidados por volta de 16 semanas.

 E a LABILIDADE EMOCIONAL? Gente! O que significa a vontade que sentimos de chorar a todo o momento?

 

O meu marido pergunta: "Já deu uma choradinha hoje?" Hahaha... Eu já chorei por causa do vazamento de óleo no golfo do México e os animais cheios de óleo, chorei com as enchentes em Alagoas e Pernambuco, chorei vendo uns bebezinhos prematuros no berçário, choro com criança abandonada, filmes...Sem falar do choro na hora dos ultrassons com o Dr Omar!!!!!!  Isso também é por causa da progesterona jorrando no nosso cérebro e das incertezas da vida nova que começa.