Sexo e libido durante a gravidez

Esse é um assunto vasto... Bem vasto!!!

Olha só gente, não há um padrão. Na literatura médica, há relatos de mulheres que tiveram seu primeiro orgasmo durante a gravidez, assim como há mulheres que se queixam de frigidez (falta de desejo) nesse período. Podemos afirmar que existem altos e baixos durante os 9 meses. Tudo depende também da estabilidade do casamento, do desenrolar da gravidez, se está tudo bem, como está a cabeça dessa grávida. Não dá pra gente separar o pacote SEXO, do pacote CABEÇA e do pacote CORAÇÃO. Mulher junta tudo isso pra ter desejo, excitação e orgasmo, na maioria das vezes.


No começo da gravidez, costuma ser um pouco mais difícil por causa dos enjoos, das mamas doloridas e do cansaço e sono da mãe. Existe ainda o medo de machucar o bebê ou até de causar um aborto. A libido está mais em baixa por causa do aumento da progesterona na gestação. O lado emocional do pai também pesa. Ele pode se sentir desconfortável em ter relações com a "mãe de seu filho" ou até mesmo de machucar o bebê. Depois do terceiro mês, isso melhora. A sintonia do casal se afina, a cabeça se adapta melhor a nova vida e tudo isso volta a piorar no final da gravidez. A barriga já está muito grande, o cansaço reaparece, há dores na coluna, há medo de provocar um parto prematuro e o mais comum, muitas mulheres se sentem desinteressantes. Bater muito papo, franquezas e companheirismo ajudam muito. 


O sexo durante a gravidez não prejudica em nada desde que vocês não se pendurem no lustre e não tenham várias relações repetidas, toda hora, todo dia. O colo do útero da grávida é mais mole e mais cheio de vasinhos sanguíneos e o intenso atrito no local, pode gerar alguns sangramentos (nem sempre prejudiciais ao bebê, mas que dão um susto desagradável e desnecessário).


Relações sexuais na gravidez estão contra-indicadas em: AMEAÇA DE ABORTO (sangramentos do início da gravidez, descolamento do saco gestacional...) e INCOMPETÊNCIA ISTMO-CERVICAL (quando o colo do útero se abre, não segurando o bebê). É feita a cerclagem, um procedimento em que pontos são dados no colo pra que ele se feche e segure a gestação até o final.

 

Outra contra-indicação é a presença de PLACENTA PRÉVIA. Isso é quando a placenta se implanta mais abaixo, próxima ao colo do útero. Quando isso ocorre logo no comecinho da gravidez, a chance de subir com o crescimento do útero é muito grande  e tudo volta ao normal, mas há alguns casos em que a placenta fica mesmo tapando o colo do útero ou muito próxima a ele. A gestante tem que ficar de repouso até o final da gravidez e não poderá ter relações sexuais.

 

Na grande maioria dos casos, as gestantes podem curtir a sua sexualidade numa boa e por que não, até tirar proveito disso experimentando novas sensações?


Converse sempre com seu obstetra e tire os “grilos” da cabeça.